quinta-feira, 25 de junho de 2015

A experiência de raspar o cabelo!

Raspar o cabelo... Bom, para muitas pessoas esse assunto não é fácil, mas pra mim também não foi!
Por conta do primeiro tratamento que durou 8 meses não ter correspondido 100%, eu tive que fazer um Transplante de Medula Óssea.

Meu cabelo já tinha crescido bastante, eu já estava até pensando em algum cortezinho, eai pronto.. a notícia que iria cair tudo mais uma vez. Na primeira vez de todas, eu cortei o meu cabelo que batia na metade das minhas costas em chanel (curtinho no ombro) para ir me acostumando com ele curto, porque aí eu não teria um choque muito grande quando me visse careca.





Minha família, minha vida!


Assim que eu fui diagnosticada ainda no hospital, o meu pai a minha mãe e a minha irmã disseram que todos em casa raspariam e que eu não ia ser a única com o cabelo raspadinho. Mas o meu médico não concordou com a ideia e disse que eu tinha que ter a referência em casa, a normalidade, pois jajá tudo aquilo acabaria. Eu não queria que ninguém raspasse e no fim todos concordaram. Mas para a minha surpresa, a minha mãe em um belo dia apareceu careca em casa, sim isso mesmo! Careca! Ela foi sozinha e fez tudo isso para me encorajar e para eu perceber que ficar careca não era tão ruim assim.


Olhem que demais o video da minha mae raspando o cabelo! Ela e tudo pra mim!




Depois dela raspar o cabelo dela, o meu cabelo começou a ficar muito ralinho e com cara realmente de doente, e como eu não queria passar essa aparência para ninguém, eu decidi que já estava na hora de raspar. O meu namorado sempre disse que quando chegasse esse momento, ele queria estar comigo e não só isso, ele próprio queria raspar e então nesse dia fomos pro banheiro, pegamos uma bacia e a máquina dele e finalmente me livrei daqueles restos de cabelo morto!
E querem saber como eu me senti? Libertada! Sim, eu estava me livrando de tudo o que era velho, o que não me pertencia mais, me renovando. Não teve drama e nem tristeza, só liberdade!
Gravei direitinho o dia que eu raspei, acreditem se quiser: foi no dia em que o Brasil perdeu para Alemanha de goleada na copa do mundo! Eu não vou esquecer jamais. Hahaha!


Na segunda vez no transplante, eu raspei logo depois da infusão da medula. Os cabelos já começaram a cair e me irritar pois coçava o meu pescoço, e dessa vez quem raspou foram as enfermeiras do hospital!

Em nenhuma das vezes eu cheguei a usar peruca e nem lenço! Meus pais chegaram a comprar uma pra mim, do jeitinho que era o meu cabelo antes de eu raspar (com californiana e tudo, hahaha), mas sinceramente eu nunca senti necessidade de usar em nenhuma ocasião, além do que coçava bastante por conta de estarmos no verão naquela época.


Eu assumi a careca mesmo e não estava preocupada com o que iam pensar ou que iam me olhar. Quem olha dessa forma com preconceito ou com dó, nao sabe e nem tem ideia o quanto somos guerreiras e lindas por dentro e por fora, pois só pessoas muito fortes e especiais passam por essa grande batalha, então temos que ter orgulho de nós, levantar a cabeca e seguir em frente!




Eu sei que esse momento de raspar a cabeça não é fácil principalmente para nós mulheres, mas não se apegue a ele quando o foco é vencer a doença e se curar! Pense que nesse momento, há coisas mais importantes para se preocupar e que jajá ele crescerá ainda mais forte e você ficará mais bonita do que nunca, acredite!!!!!!


Se tiverem alguma duvida, podem me perguntar ta bom?
Espero que tenham gostado! Beeeijos!




4 comentários:

  1. Chorei, juro! Linda a atitude dela!!

    ResponderExcluir
  2. Mim emocionei, lindo demais, ver sua força e sua garra. Hoje tenho uma sobrinha que está com linfoma e está quase começando a quimioterapia, ela está no Santa Paula e os médicos lá falam muito bem de vc... parabéns

    ResponderExcluir